terça-feira, março 01, 2011

10 PERGUNTAS PARA O PROF. JERRY PILATI.

Uma entrevista com o professor que revolucionou o ensino de xadrez na escolas. Professor, escritor e coordenador do projeto de xadrez na cidade de Francisco Beltrão e sem dúvida um dos grandes conhecedores e autoridades no país sobre o assunto.
O professor Jerry nos conta como foi o inicio do projeto, como é o funcionamento e seus resultados.



1. XP: Como começou a desenvolver o projeto de Xadrez Escolar em Francisco Beltrão? E como é a sistemática deste programa?Qual o número de pessoas envolvidas no projeto?

Jerry
: Na época, (10 anos) solteiro, com pouco trabalho e a vontade de fazer alguma coisa diferente, crescer, marcar trajetória, pedi licença numa escola central da cidade; aulas para iniciantes (me incluo nestes), em pouco tempo (3 meses) começou o murmúrio, pois tínhamos tanta gente que não cabia na sala. Isso chegou aos ouvidos de pessoas interessantes e BUM, chefe de NRE da época, o Prefeito da época, o vice e atual prefeito de hoje, Secretária da Educação, diretores de colégios e amigos professores de Educação Física, que já trabalhavam o xadrez em suas aulas em colégios.
Fiz um curso (capacitação em Curitiba: Jaime Sunye, Wilson da Silva, Augusto Tirado, Bolivar Gonzáles). Recebi o convite do então prefeito Sr. Cordasso e iniciei como coordenador do xadrez nas escolas (21 escolas); capacitando professores, promovendo eventos motivadores e levando o xadrez aos bairros (todos os sábados por 4 anos). Isso fortaleceu e foi uma vitrine.
Um grande salto também veio com a vereadora Atanásia quando apresentou e foi aprovado o xadrez como Lei Municipal 3054/2003.
Hoje temos o Festival de Xadrez Escolar em sua 10ª edição (2011), cerca de 8 mil alunos (nas escolas e creches) vivem o xadrez em suas mais amplas temáticas.
O xadrez envolve: 01 coordenador Geral, 30 professores distribuídos nas escolas da rede municipal e mais as creches (a cada ano cerca de 10% destes professores migram do xadrez p/ outras áreas e ou vice-versa).
Temos o site www.xadrezdebeltrao.com.br onde abordamos o trabalho.

2. XP: O programa de xadrez escolar de sua cidade aborda o tema de crianças com TDAH (Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade)?

Jerry
: Parcialmente, em algumas escolas através da análise das equipes das escolas a hiperatividade é também abordada e apoiada pelo trabalho com o xadrez, recomendações aos familiares são uma constante nestes casos.

3. XP: Qual o principal ou os principais objetivos do programa de Xadrez Escolar em Francisco Beltrão?

Jerry
: - apoiar o pedagógico a todas as crianças da rede; - tornar o xadrez culturalmente social e bem aceito entre as crianças, jovens e adultos; - atrair a família em torno de si mesma.

4. XP: Devido à multidisciplinaridade, inúmeros benefícios trazidos pela modalidade de Xadrez você acha que ele deveria ser obrigatório nas Escolas?

Jerry
: Se as crianças conhecerem o xadrez (esporte, recreativo, criativo e pedagógico) vão gostar; basta ser apresentado de forma correta e dinâmica, por pessoas que gostem.
Em Francisco Beltrão o é desde 2003.


5. XP: Como surgiu a ideia do Livro “Por que Xadrez nas Escolas”?

Jerry
: Num curso em Faxinal do Céu, tive o privilégio de ouvir Uvencio Blanco, li seu livro e pedi ao GM Sunye que logo interviu e obtivemos liberação imediata.

6. XP: Professor, alguns pais querem tratar o xadrez como uma espécie de panaceia, se a criança tem algum problema na escola o encaminham para as aulas de xadrez. O que pensa sobre isso?

Jerry
: Reporta-nos a concepção de tudo isso...o que seria para estes pais a criança com problemas? O que seria para estes pais o xadrez? O que seria para as crianças o xadrez? O que seria para as crianças estes pais?
O xadrez é algo ainda mágico....depende do conhecimento que temos de tudo, inclusive de nós mesmos.
Podem trazer as crianças pro xadrez sim, mas levem também o xadrez com vocês.

7. XP: Todos os grandes profissionais da área, assim como os grandes autores e jogadores definem o Xadrez de alguma forma, e você, como o define?

Jerry
: No Brasil, algo ainda a ser explorado...é brilhante, se for incentivado.
Quando um pai fala: chego em casa ta lá minha filha com o tabuleiro na mão – “pai vamos jogar?” Depois do jantar – “pai vamos jogar?” saindo do banho – “vamos?”

8. XP: Sempre faço essa pergunta aos meus entrevistados, mas a considero relevante. Você acha que o Xadrez tem o apoio que merece no Brasil? O que falta?

Jerry
: Bem...”acho” que: O que é o xadrez no Brasil? Que apoio espera? Como o xadrez se estrutura em si mesmo? O xadrez busca este apoio? Como? Onde?
Sinceramente acho pontual o apoio do xadrez nos municípios...e eventualmente nos governos estaduais...teve um lampejo no governo federal..mas o envolvimento deixou um vazio, pois o tempo seria fator crítico nesta aventura pelo tabuleiro brasileiro.

9. XP: O Xadrez é um esporte reconhecido inclusive pelo Comitê Olímpico Internacional, sendo assim, por ser um esporte, você considera importante que ele seja ensinado por profissionais de Educação Física? Qual a sua opinião sobre este polêmico assunto? E o que acha do sistema CREF/CONFEF? O sistema dá o devido respeito à modalidade?

Jerry
: O xadrez mundial não é referencia (ainda). Está fechado nas mãos do dono do chess; Não sei de atividade do COI envolvendo o xadrez. No país o que une os enxadristas e com isso o xadrez são eventos organizados por algumas federações estaduais que com muita competência capacitam pessoas e dedicam seu tempo a modalidade.
Quanto aos sistemas não tenho conhecimento de causa para definir e ou responder, mas posso pinçar um item: teríamos gente o suficiente para dedicação ao xadrez?
As universidades (cursos de Educação Física) dão o devido valor? (atividades complementares); Onde seriam capacitados?
E o amor e dedicação de outros profissionais onde ficariam?


10. XP: Qual balanço você faz do trabalho desenvolvido pela Federação de Xadrez do Paraná nestes últimos dois anos?

Jerry
: Exemplar.
Vivi muitos anos na Federação e aprendemos bastante antes de colocar a mão na massa. Os que por ela passaram nos deixaram um legado de eventos, que aprendemos a valorizar e melhorar cada ano mais. A variedade com que se apresenta hoje é fruto de muita dedicação, experiência e parcerias. Novas frentes dispostas a agregar valor ao xadrez como um todo, onde tem espaço e abertura.
Na minha simples opinião, a federação é exemplo para quem busca o melhor para todos os interessados do meio enxadrístico.
Muitas pessoas do estado poderiam compor com maestria a diretoria que temos hoje, mas, ouso dizer que nosso presidente, com seu estilo aberto e dinâmico torna possível o avanço que o Paraná percebe;
De minha parte, devo encerrar meu ciclo, pois tenho plena consciência de que meu tempo já passou e não consigo acompanhar a habilidade e competência dos atuais componentes da diretoria da FEXPAR.
Peço licença para anunciar que estou me dedicando a aprender mais sobre JESUS meu Senhor Absoluto.

O Blog Xadrez Piraí agradece ao Professor Jerry Pilati pela entrevista.
No mês de abril nosso entrevistado será o jovem Gabriel Broday, que vem se destacando no cenário paranaense e recentemente foi destaque ponta-grossense no esporte.

6 comentários:

beatriz disse...

O meu depoimento é algo muito mais importante para mim do que para quem vai ler. O prof. Jerry foi o antes e o depois do xadrez na minha vida,eu diria que antes não sabia nada de xadrez e depois ele despertou o gosto, a satistação do que é jogar xadrez e poder repassar para meus alunos, com o trabalho que ele desenvolvia junto a nós, fomos crescendo e desenvolvendo um trabalho intenso em todas as escolas da cidade de Realeza. Podemos afirmar com certeza que todos os alunos que passam pela escola de 5 a 8 séries conhecem e aprendem a jogar xadrez.
O melhor do xadrez é poder ver aqueles alunos que em diversas áreas do conhecimento tem muitas dificuldades que após desenvolvermos o xadrez modificam sua maneira de ser e estar na escola, participando nos jogos colegiais e se destacando nos primeiros lugares. Sou uma apaixonada pelo xadrez por que algum dia alguém plantou uma sementinha e essa pessoa foi o jerry. "Aproveito a oportunidade para dizer muito obrigado e parabéns pelo reconhecimento que está colhendo". Professora Beatriz Terezinha Tazoniero.

Prof Pedro disse...

Gr Jerry,
é um prazer tê-lo como amigo. Continuo aprendendo muito contigo, és uma referência pra mim e pra muitos entusiastas do xadrez. Seu profissionalismo faz a diferença. Parabéns pela entrevista, que Deus o abençoe.
Obrigado Maurídes por mais essa espetacular reportagem.

xadrezpirai disse...

Olha isso Jerry!
Certamente depoimentos q ilustram sua trtajetória e demonstram tudo q vc fez pela nossa modalidade. Guarde isso no coração meu amigo, pq não existe preço para isso!

Fraternal abraço amigo Jerry!

amauri disse...

Não é novidade nenhuma, o professor Jerry é e sempre será uma referência no xadrez nacional. Tenho a honra de tê-lo como amigo. Passei momentos agradáveis lendo as perguntas feitas a ele. Parabéns Jerry e Maurídes.

Dinheiro e mais dinheiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dinheiro e mais dinheiro disse...

Belissima entrevista Jerry, esperamos contar com sua presença no meio enxadristico por muitos anos ainda...
Abraços

Rogério!