quinta-feira, março 01, 2012

10 PERGUNTAS PARA PAULO RIOS RODRIGUEZ

Reeleito por unanimidade para mais dois anos de gestão a frente da Federação de Xadrez do Paraná, Paulo Rios concedeu esta entrevista onde explana alguns aspectos de sua gestão e quais os seu planos futuros.
Os desafios são muitos, mas Paulo promete enfrentá-los com a participação da comunidade enxadrística do Paraná.



1. Como foi a decisão de assumir a Fexpar?
Paulo: Desafiadora e inaceitável no primeiro momento.
Durante um dos grandiosos eventos da FEXPAR, à noite, após um dia intenso na busca de superar a qualidade de nossos eventos e após uma reunião exaustiva de arbitragem, quando conversávamos sobre os possíveis eventos do ano seguinte o ilustre Prof. Cláudio Tonegutti me fez o convite para ser o candidato a sua sucessão já que havia assumido outros compromissos para o ano de 2010.
Recusei por julgar que tinha pouco tempo para me dedicar a entidade máxima do xadrez paranaense. Celepariano e analista de comércio exterior na Galbrax com uma intensa vida familiar e social, fazia o possível para executar as atribuições do Vice-Presidente Administrativo da FEXPAR.
Entretanto, após comentar com alguns amigos, igualmente promotores do nobre esporte-arte-ciência, o convite feito pelo nobre Presidente, fui encorajado a lutar pelas necessidades que tivemos como jogadores, professores, técnicos, árbitros, organizadores e promotores da modalidade. Formamos uma grande equipe de trabalho que se dedica a melhorar as condições para a comunidade enxadrística Parananese.
Entre alegrias e tristezas erramos e acertamos muito. Mas sempre convictos de que buscávamos o melhor para o Xadrez. Dos meus 28 anos de vida tenho pelo menos 23 de xadrez.

2. Qual você considera o seu ponto forte na sua gestão?
Paulo: Díficil elencar algo que se destaque, uma vez que temos abrangido todas as variações do desenvolvimento da modalidade.
Comunicação, calendário, apoio aos melhores atletas, clubes, fornecimento de conteúdo para professores, técnicos e árbitros.
Certamente a comunidade enxadrística pode responder melhor. Professores, técnicos, atletas, dirigentes de clube, etc. Ressalto que a gestão ocorreu por conta de termos uma equipe comprometida com o desenvolvimento do xadrez.

3. E o ponto fraco? Algo que tenha a melhorar.
Paulo: Algo que vejo necessário melhorar sempre é a comunicação. Se conseguirmos nos comunicar melhor, entenderemos melhor uns aos outros, enxergaremos as dificuldades e necessidades, teremos informações melhores e mais precisas, as quais, serão subsidio para tomada de decisões mais corretas e focadas no desenvolvimento da modalidade.

4. Qual o seu plano para a próxima gestão?
Paulo: O plano será definido pelos dirigentes de clubes, professores, enxadristas, técnicos e árbitros. Enfim a comunidade enxadrística em geral, que apontará suas necessidades para tratarmos de buscar atende-las. Serão criadas comissões para propor soluções para cada grupo de necessidades da FEXPAR. Projetos, comunicação e marketing, regulamento, arbitragem, de xadrez escolar, etc.
3 frentes de atuação da FEXPAR serão: Apoio aos melhores atletas, treinamentos e realização de eventos nacionais e internacionais.
  
5. Qual a importância dos clubes se filiarem à Fexpar?
Paulo: O apoio institucional é o principal benefício aos clubes filiados. No âmbito da FEXPAR fortalecemos uns aos outros para ganhar mais espaço perante as secretarias de esporte, educação e cultura.
Além disso, os clubes possuem desconto no pagamento de taxas, desconto em inscrições, prioridade na escalação de organizadores/árbitros, acesso ao site da FEXPAR para divulgação fácil, ágil e direta, entre outros.

6. O que você achou da criação da categoria Sub 26? A Fexpar pretende realizar competições voltadas para esta faixa?
Paulo: Coerente, uma vez que o ministério do esporte oferece bolsa para essa faixa. E não vejo melhor critério que uma competição. Da mesma forma é conveniente que valorizemos os melhores paranaenses nesta categoria.
  
7. Qual sua opinião sobre o registro do CREF para professores de xadrez já que a
modalidade é reconhecida como um esporte?
Paulo: Entendo que cada profissional deve se credenciar de acordo com sua formação. Cada um respondendo ao seu conselho. Os Professores de Educação Física devem atender os direitos e obrigações do CREF e o mesmo deve acontecer com pedagogos, físicos, contadores, etc.
O xadrez é uma disciplina multidisciplinar e pode estar presente e representada em muitas áreas.
  
8. Recentemente a Fide criou o rating internacional de xadrez rápido. A Fexpar tem a intenção de realizar eventos nesta modalidade? O paranaense de rápido valer fide a exemplo do que acontece com o paranaense de pensado, por exemplo?
Paulo: A FIDE retornou a contabilizar os rating de rápido e relâmpago, algo que acontecia no passado, e por algum motivo foi eliminado.
A FEXPAR zelando pela comunidade enxadrística não eliminou os seus cálculos de rating rápido e relâmpago, embora tenha sido pressionada diversas vezes.

9. Como surgiu a ideia do Prêmio "Orgulho do Xadrez Paranaense" e como será a escolha dos vencedores em 2012?
Paulo: Há muito tempo que temos o interesse de realizar o Oscar do Xadrez. Entretanto, com a grande quantidade de eventos que já ocorrem anualmente incrementar mais um não é tarefa fácil. Ainda mais um prêmio que envolve o brio do enxadrista.
O prêmio deve seguir uma hierarquia: os clubes indicam os atletas em cada categoria e posteriormente uma comissão com critérios pré definidos seleciona os vencedores.
Estamos formando uma comissão para elaborar as propostas e critérios para a realização do prêmio de 2012.

10. Quais são as condições para que um enxadrísta passe a receber o bolsa atleta estadual (que é mantido pela Copel e Sanepar)? É a Fexpar que faz a indicação?
Paulo: O bolsa atleta estadual é focado para as modalidades olímpicas que estarão na olimpíadas de 2016, o que exclui o xadrez.
O xadrez tem um grande apoio da Secretaria de Estado do Esporte e mesmo com a ausência do reconhecimento do COI, o COB tem xadrez nas olimpíadas escolares e universitárias.
Em conversa com o Secretario Evandro Roman, informou da possibilidade de inclusão do xadrez no programa Esporte Formador onde estamos trabalhando para ter sucesso.

O Blog Xadrez Piraí agradece ao Presidente da Fexpar pela entrevista.

Um comentário:

Prof. Amauri disse...

Grande presidente Paulo Rios.
Linda entrevista feira por você Maurídes